Está difícil pagar o consórcio? Saiba como fugir da inadimplência

O consórcio é uma maneira bastante vantajosa de adquirir bens, pois permite o planejamento financeiro. Antes de fechar negócio, você vai escolher o valor do crédito e o preço das parcelas, de modo que elas se encaixem ao seu orçamento. Entretanto, sabemos que imprevistos podem acontecer e atrapalhar essa organização.

Às vezes, fica difícil pagar o consórcio em dia. A inadimplência é um risco maior ainda em períodos de crise econômica, como o que o Brasil tem vivido nos últimos anos. Assim, se mesmo seguindo a dica do planejamento prévio o consorciado se vê sem condições de honrar com as parcelas, o que pode ser feito?

Confira as informações deste post e saiba como resolver esse problema com a administradora de consórcio contratada!

O que acontece com os inadimplentes?

É importante lembrar que a pontualidade nos pagamentos é essencial nessa modalidade de compra. Afinal, as outras pessoas do grupo dependem disso para adquirir seus bens. Logo, quem não consegue pagar o consórcio da maneira combinada está exposto a algumas penalidades.

Dependendo do caso, as penas para quem atrasa as parcelas podem ser rígidas — inclusive com a exclusão do grupo e a substituição por um novo participante. Outras medidas são a negativação no mercado, a cobrança ao fiador e, quando se trata de pessoas que já foram contempladas, a desapropriação do bem.

Mas os participantes podem ficar tranquilos. Nenhuma atitude drástica será tomada sem que antes haja tentativas de negociação. As empresas administradoras de consórcio sempre estarão interessadas em receber os pagamentos e manter o consumidor no grupo.

As penalidades iniciais para quem atrasa ou deixa de pagar a cota envolvem cobrança de multa e juros mensais pelo atraso, suspensão do poder de voto nas assembleias gerais extraordinárias e exclusão nos sorteios e lances para a carta de crédito.

Caso o consumidor cancele o consórcio ou seja excluído definitivamente, sua cota volta a participar dos sorteios e, ao ser sorteado, ele tem o direito de receber o valor que estava investido. Quem não tiver sorte também recebe o dinheiro, mas no período de finalização do grupo.

Como negociar para evitar a inadimplência?

É recomendado que logo que perceba a dificuldade financeira para pagar o consórcio, o consumidor procure a empresa e negocie mudanças nas mensalidades. Há algumas possibilidades viáveis para não se endividar, como trocar a carta de crédito por uma de menor valor, parcelar mensalidades ou repassar a cota. Além disso, em casos de desemprego ou acidentes é possível acionar o seguro.

Todas essas opções devem ser combinadas diretamente com os funcionários da administradora do consórcio. Assim, o participante evita juros e penalidades. É importante checar as informações do contrato assinado e ver o que pode ser feito, além de tirar as dúvidas com a empresa.

Caso o problema financeiro seja temporário, as parcelas atrasadas podem ser divididas nas próximas faturas. Já para aqueles que ainda não se recuperaram das dificuldades, é importante negociar produtos mais baratos ou mesmo ver as condições para cancelar a cota.

A pior escolha sempre será manter o silêncio. Se alguém não paga as mensalidades e não tenta negociar, a empresa pode cancelar automaticamente a participação depois de 90 dias de atraso sem comunicação. Por isso, o ideal é buscar ajuda. Os colaboradores farão o possível para facilitar o pagamento e manter a cota do consorciado ativa.

Quais cuidados tomar para pagar o consórcio em dia?

Planeje-se

A primeira atitude essencial para evitar descontrole financeiro é se comprometer com parcelas que caibam no seu bolso. Para isso, não basta avaliar seu orçamento atual. Se você pensa em adquirir um bem em três anos, por exemplo, é preciso pensar em como estarão suas condições até o final desse período.

Cada administradora trabalha com diversas opções de cotas. Avalie com cuidado quanto custa o consórcio e veja qual é a alternativa mais viável em relação ao valor das parcelas e ao tempo de pagamento. Esses cuidados ajudam você a aumentar o seu patrimônio de maneira planejada e sem sustos ou prejuízos.

Economize

Muitas vezes é preciso fazer sacrifícios para realizar um sonho. Se você deseja comprar um carro ou um apartamento, por exemplo, pode ser necessário abrir mão de alegrias momentâneas em nome do futuro. Já pensou em cortar custos de internet ou televisão a cabo? Você não precisa viver sem esses serviços — pode economizar trocando de plano.

Outra ideia é listar todos os seus gastos e analisar em que pontos eles podem ser minimizados. Por exemplo, cozinhar sempre é mais barato do que frequentar restaurantes. Dá para economizar muito levando o almoço para o trabalho ou reunindo os amigos em casa em vez de ir a um bar.

Tenha uma reserva de emergência

Mesmo que o seu salário seja suficiente para pagar todas as contas e viver bem, é impossível estar totalmente protegido contra imprevistos. O que vai acontecer se surgir uma grande conta inesperada que ultrapasse as suas possibilidades financeiras atuais? Como você resolveria essa questão?

Ninguém deseja que isso aconteça, mas, muitas vezes, os problemas aparecem exatamente quando não estamos preparados, não é? Por isso, um conselho muito válido é o de montar uma poupança que ofereça segurança nesses momentos. Quem tem dinheiro guardado consegue honrar com seus pagamentos mesmo quando algo inesperado acontece.

Obtenha rendas extras

Se, mesmo com todos os cuidados, você enfrentar muita dificuldade para pagar o consórcio, há a opção de aumentar seus rendimentos. Hoje em dia, existem várias alternativas para quem quer ganhar mais dinheiro com fontes de renda extra. É possível, por exemplo, dar aulas de reforço ou vender produtos.

Cozinhar também é uma boa alternativa — muitas pessoas conseguem um bom dinheiro fazendo doces e sobremesas. Além disso, ser motorista de aplicativo nas horas livres ou oferecer consultoria na sua profissão são formas de obter mais dinheiro e conseguir pagar todas as parcelas.

Agora você sabe quais são as opções para quem não consegue pagar o consórcio em dia. No entanto, é fundamental avaliar as suas finanças antes de tomar uma decisão. Depois de fazer isso, converse com a empresa administradora e veja o que ela pode fazer.

E então, o que achou deste post? Deseja conhecer uma administradora de consórcio comprometida com os clientes? Entre em contato conosco e conheça nossas vantagens!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.