6 indicadores de desempenho para acompanhar na gestão de frota

Todos sabemos que não é possível gerenciar o que não se mede e, sem esse cuidado, uma empresa de transporte comprometerá todo o seu sucesso. A melhor solução nesse caso é estabelecer uma boa gestão de frota.

Mas você sabe como fazer isso? Muitos gestores acreditam que apenas manter os processos funcionando de maneira sincronizada é o suficiente. Mas acredite: uma gestão de frota realmente eficiente vai bem além disso.

Você precisa monitorar os resultados, mensurá-los para descobrir se estão de acordo com os planos traçados e utilizá-los para fazer projeções de resultados futuros. Para isso, você vai precisar usar os KPIs (Key Performance Indicators, ou indicadores-chave de desempenho) certos.

Por isso, dedicamos este post a você que deseja aumentar o nível de controle da frota e promover um desenvolvimento sustentável para a empresa. Conheça agora 6 indicadores de desempenho para acompanhar os resultados na gestão de frota:

1. Média de quilometragem percorrida nas entregas

A média de quilometragem percorrida pode ser mensurada considerando quantos quilômetros cada caminhão faz em cada entrega. Some tudo e divida pelo número de viagens totais e terá uma média confiável.

Além disso, você pode ter uma média exclusiva para cada caminhão. É só somar a quilometragem total percorrida por ele em um mês, por exemplo, e dividir pelo número de viagens feitas apenas com ele. Veja o exemplo abaixo:

  • Número de caminhões = 10

  • Quilometragem total percorrida = 50.000

  • Número de viagens feitas no mês = 100

  • Média de quilometragem percorrida por toda a frota = 50.000 / 100 = 500 km

Para medir a quilometragem média de um caminhão especificamente o cálculo será o seguinte:

  • Caminhão 1 = 350 km percorridos em 8 viagens no mês

  • Média de quilometragem percorrida por viagem pelo caminhão 1 = 350 / 8 = 43,75 km

Esses índices são importantes para os gestores planejarem com antecedência as manutenções preventivas e decidirem quando será necessário aumentar a frota, caso haja um aumento da demanda por entregas.

2. Média de capacidade utilizada na frota

Outro indicador importante a ser verificado na gestão de frota é medir se a capacidade dos caminhões está sendo bem utilizada. Essa informação ajudará a empresa a identificar oportunidades de melhorias nos transportes, como otimizar as rotas de entrega para ocupar o máximo da capacidade permitida dos veículos.

Isso trará maior eficiência a frota, aos processos de entrega e aumentará consideravelmente a taxa de rentabilidade do negócio.

Esse indicador pode ser obtido dividindo o peso da mercadoria pelo peso limite que o caminhão pode transportar. Veja o exemplo abaixo:

  • Capacidade máxima permitida do caminhão 1 = 10 t (dez toneladas)

  • Peso da mercadoria para a viagem 1 = 8 t (oito toneladas)

  • Capacidade utilizada no caminhão 1 = 80% (20% de capacidade ociosa)

3. Custo médio com manutenções

Você sabe qual é o impacto que as quebras e manutenções preventivas dos caminhões causam no orçamento? Esse indicador pode mostrar isso e também apontar os motivos que mais levam aos danos causados por uso inadequado.

Esse custo pode ser medido por caminhão, por motorista e por oficina autorizada onde as manutenções são realizadas. Além disso, ajuda os gestores a identificarem a necessidade de treinamento dos motoristas e acompanhar se as oficinas estão praticando preços justos.

Veja um exemplo prático de como calcular esse índice por caminhão em um ano:

  • Frota total = 10 caminhões

  • Total de motoristas = 15

  • Custo total com manutenções anuais = R$ 150.000,00

  • Número de manutenções realizadas = 30

  • Valor médio cobrado por manutenção da frota total = R$ 150.000,00 / 30 = R$ 5.000,00

  • Custo médio por caminhão = R$ 150.000,00 / 10 = R$ 15.000,00

  • Custo médio por motorista = R$ 150.000,00 / 15 = R$ 10.000,00

Se algum motorista ou caminhão ficar muito acima dessa média, algo está errado e você precisa resolver logo.

4. Consumo de combustível

O consumo de combustível é um dos indicadores mais importantes que uma empresa de transporte deve acompanhar, pois o gasto aliado aos altos preços praticados no país podem influenciar diretamente no orçamento e, sem uma gestão de frota que meça esses dados, a empresa terá o seu futuro seriamente comprometido.

O ideal aqui é medir o custo médio por motorista e também por veículo para saber se o é o caminhão que precisa de manutenção ou o motorista de treinamento. Veja como calcular esse índice abaixo:

  • Frota total = 10 caminhões

  • Total de motoristas = 15

  • Consumo mensal da frota = R$ 20.000,00

  • Média de consumo de cada caminhão = R$ 20.000,00 / 10 = R$ 2.000,00

  • Média de consumo de cada motorista = R$ 20.000,00 / 15 = R$ 1.333,33

Digamos que o caminhão número 3 esteja gastando uma média de R$ 4.000,00 para percorrer a mesma quilometragem dos outros. Isso significa que está acima da média, indicando algum problema mecânico.

Se algum motorista apresentar um desvio muito acima da média, R$ 3.000,00 por exemplo, provavelmente precisa de um treinamento para melhorar a forma de condução dos veículos.

5. Taxa de multas registradas

O número e o valor das multas podem apontar um padrão de comportamento inadequado praticado pelos motoristas no trânsito e agir rápido para mudar esse cenário será importante para impedir acidentes e a negatividade da imagem da empresa no mercado.

Para isso, some o total de multas recebidas no ano e divida pelo número de motoristas que a empresa tem. Com a média ficará mais fácil apontar os mais imprudentes. Veja como fazer o cálculo abaixo:

  • Multas totais no ano = 20

  • Valor total das multas no ano = R$ 18.000,00

  • Total de motoristas = 15

  • Média de multas por motorista = 20 / 15 = 1,33

  • Valor médio por multa = R$ 18.000,00 / 20 = R$ 900,00

  • Valor médio de multas por motorista = 1,33 * R$ 900,00 = R$ 1.197,00

Digamos que o motorista número 8 teve um total de 3 multas que somou um valor total de R$ 3.000,00. Esse motorista está em posição de risco para a empresa e deve ser notificado o mais rápido possível.

6. Durabilidade da frota

A durabilidade da frota pode ser encurtada ou aumentada dependendo do uso e da conservação dedicada. Mas para saber qual é média ideal, pesquise na concorrência e em concessionárias para fazer um cálculo mais preciso e de acordo com a realidade do mercado.

Por exemplo:

Se a média de durabilidade de um caminhão for de 5 anos e você precisa renovar a frota a cada 4 anos, algo está errado com a forma de condução e conservação dele.

Esses indicadores podem trabalhar juntos para otimizar a gestão de frota, dando aos gestores o poder de planejarem investimentos, negociarem preços e condições de pagamentos melhores com os fornecedores atuais, reduzirem custos e promoverem um desenvolvimento de forma sustentável para o negócio.

Gostou das dicas? Compartilhe essa informação com seus amigos nas redes sociais e torne-se influente no seu segmento de atuação!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.